Que vergonha, seu Boris!

Hoje, curiosamente e sem propósito, pude acompanhar dois momentos antagônicos no jornalismo. A gafe preconceituosa de Boris Casoy contra garis e a humildade por excelência de Gay Talese. 

É nos bastidores que se encontram os mais afiados e debochados momentos. Basta uma rápida ida ao YouTube para ver apresentadores de telejornais fazendo comentários que somente o anonimato poderia proporcionar. Mas graças aos técnicos relapsos, essas máscaras caem e vimos como é o ser humano que pensamos que são. 

É sempre mais ou menos assim. Baixam os holofotes, mostram-se os carateres. O tom de brincadeira no comentário de Boris Casoy debochando dos sinceros votos de Ano Novo dos garis é muito ruim para uma sociedade que deseja ser igualitária. Se a tal voz que representa a sociedade pensa assim, o que esperar dos outros? Felizmente a maioria, senão todos, reagiu contra, obrigando o jornalista a fazer um macambúzio pedido de desculpas. Lamentável para alguém com a biografia que tem… 

Mas logo depois acesso o blog de Geneton Moraes Netto e leio sobre seu recente encontro com o jornalista Gay Talese. Texto extenso, aulas de jornalismo e um dos trechos me chamou a atenção: 

“Talese fez outra confissão: disse que nunca se sentiu atraído a escrever sobre gente famosa. Preferia lançar seus faróis sobre gente anônima, o que parecia uma contradição. Não por acaso, quando recebeu de um editor a tarefa de escrever sobre Frank Sinatra, Talese teve a tentação de recusar a encomenda. Imaginou: que pergunta Frank Sinatra já não tinha respondido um milhão de vezes?” 

Certamente o grande Gay faria daquela mensagem dos garis uma grande matéria de fim de ano, daquelas para nos fazer pensar e emocionar. Mas, certamente, haveria um editor como Boris Casoy para vetá-la.

 Isso é uma vergonha!

Para quem não acompanhou os episódios, eis as referências:

http://colunas.g1.com.br/geneton/

http://www.youtube.com/watch?v=_esZYkpcFS8

Anúncios

4 Respostas to “Que vergonha, seu Boris!”

  1. camilla Says:

    lamentável….mas não me surpreendo mais

  2. Rodrigo Rozendo Says:

    Não poderia ter concluído o texto de maneira melhor: “Isto é uma vergonha!”

  3. Ida Says:

    Eita! O bordão nunca foi tão bem empregado…

  4. Fernando Says:

    Ele é quem deveria limpar a boca e a alma.
    duvido que ele ficaria sem esses trabalhadores uma semana.
    ai ele gritaria: Isso é uma vergonha!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: